O que é Acromegalia?


A produção excessiva do hormônio do crescimento (GH) leva a Acromegalia. Geralmente a doença é causada por uma lesão na hipófise.

Os sinais e sintomas da Acromegalia não se apresentam de imediato, é preciso um longo período de exposição ao excesso de GH para que eles surjam. Pacientes que já possuem outras doenças como diabetes, doenças cardiovasculares e hipertensão podem apresentar quadros mais graves.

Sintomas:

O principal sintoma da Acromegalia são as mudanças no corpo, como o crescimento de mãos e pés, aumento de alguns traços faciais, como a testa e queixo, espaçamento entre os dentes e perda dentária, além do aumento do nariz, tórax, lábios e órgãos genitais. A doença também afeta o funcionamento dos aparelhos respiratórios, cardiovasculares, gastrintestinais e oftálmicos.

desenho de aparencia de pessoa com acromegalia

Diagnóstico de Acromegalia:

As alterações físicas observadas nos pacientes com Acromegalia geralmente são o que norteiam o diagnóstico. A confirmação só é feita por meio de exames que indiquem os níveis hormonais do organismo, em especial do hormônio GH

Exames de imagens também são importantes para fechar o diagnóstico. Ressonância magnética do encéfalo e a tomografia computadorizada de crânio são usadas para identificar a lesão tumoral na região da hipófise.

Antes e depois do tratamento é interessante realizar radiografias do crânio, mãos e pés para comparar a diminuição das extremidades.

Tratamento para Acromegalia:

Para a maioria dos pacientes o tratamento cirúrgico com a retirada da lesão na região hipofisária é o mais indicado.

tratamento neurocirurgico para acromegalia

Tratamento medicamentoso para Acromegalia pode ser usado para pacientes com riscos elevados para cirurgia.

A radioterapia pode ser realizada quando não se obtém sucesso com o tratamento cirúrgico e com a falha medicamentosa.

IMPORTANTE: As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional e de nenhuma forma devem ser utilizados para autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.